O Crossfit e a polêmica das lesões

Uma dúvida frequente entre  meus paciente que praticam Crossfit é sobre o real risco de lesão nessa modalidade.

Já queria escrever sobre isso há algum tempo, porém era difícil encontrar estudos sobre o assunto, até que me deparei com um estudo realizado pelo grupo de Traumatologia do Esporte da Santa Casa de São Paulo e publicado no Orthopaedic Journal of Sports Medicine. Esse estudo é a maior casuística mundial sobre o assunto até o presente momento.

image

Foi constatado que o CrossFit não é este bicho papão que muitos falam. Cerca de 31% dos praticantes apresentaram lesões em todo seu tempo de prática, padrão semelhante de outros esportes como ginástica, powerlifting, corrida, triatlo. E aproximadamente metade da encontrada no futebol (60%).

Indivíduos destreinados e previamente sedentários tiveram estatisticamente a mesma taxa de lesões que aqueles que praticavam esportes regularmente. Portanto, o histórico esportivo prévio não influencia a ocorrência de lesões.

Outro ponto importante é presença de um coach capacitado durante a prática, pois como observado em um trabalho norte-americano, é um fator de peso na prevenção de lesões.

Infiltração no joelho: quando fazer?

A infiltração é uma técnica utilizada para injetar medicamentos na articulação do joelho, colocando a substância diretamente na área que necessita de tratamento. É amplamente utilizada na medicina desportiva e ortopedia, sendo muito eficaz em inflamações e osteoartrite (artrose) dos joelhos.

Screen+Shot+2015-08-18+at+1.29.26+PM

Os medicamentos mais comumente utilizados são o corticóide e o ácido hialurônico. A infiltração com ácido hialurônico é indicada se você tem artrose leve a moderada, e em casos selecionados de condromalácia. Essa substância age reduzindo a ação de células inflamatórias, estimulando a produção do próprio acido hialurônico do joelho e do colágeno tipo II, principal componente da cartilagem, e causando melhora prolongada da dor local. Já a infiltração com corticóide ajuda rapidamente a aliviar a dor e inflamação local, sendo mais usada em casos de inflamação do joelho. Mas, apesar de ocorrer menos efeitos colaterais com a aplicação intra-articular, o uso indiscriminado pode levar a degradação da cartilagem articular no longo prazo. Por essa razão, o seu médico deve indicar em casos selecionados e estipular um limite para o número de injeções que você pode receber.

Síndrome do atrito da banda iliotibial- “joelho do corredor”

Lesão por sobrecarga frequentemente encontrada nos joelhos de corredores iniciantes ou naqueles que mudaram as características do treino. 

Entre os corredores, 1,6 a 12 %, podem apresentar essa patologia ao menos uma vez durante a atividade esportiva.

O movimento de flexo-extensão da perna durante a corrida pode desencadear um processo inflamatório por atrito entre uma proeminência óssea na lateral do fêmur, o chamado epicôndilo lateral, e o trato iliotibial do joelho. 

A dor é localizada na região lateral do joelho e se manifesta durante a corrida. Ela pode piorar nas subidas ou descidas e fazer o atleta parar de correr. Após alguns minutos de repouso, a dor desaparece espontaneamente, mas logo reaparece após o início de uma nova corrida.

atrito iliotibial

Podemos considerar alguns fatores predisponentes como a tensão aumentada do trato iliotibial, deformidades angulares do joelho, o epicôndilo lateral proeminente, os pés cavos, assimetria dos membros inferiores, mudanças de treinamento.

O diagnóstico baseia-se na história clínica e no exame físico. Em casos de dúvida, a ressonância magnética pode proporcionar informação adicional. Ela mostra uma banda iliotibial espessada e com edema em sua região mais profunda.

O tratamento geralmente requer medicação anti-inflamatória, frio local depois da atividade, repouso relativo ou diminuição da intensidade do treino, associado a reabilitação com alongamento e fortalecimento do membro afetado. O treino de força deve ser uma parte da planilha de qualquer corredor; contudo, para os pacientes com síndrome da banda iliotibial, há que pôr um enfase especial na potênciação do músculo glúteo médio. O objetivo é reduzir ao minimo da fricção da banda iliotibial sobre o côndilo femoral.

Para os pacientes que não respondem ao tratamento conservador, pode-se considerar a infiltração com corticótide local e, em ultimo caso, o tratamento cirúrgico com liberação da parte posterior da trato iliotibial.

Tenho artrose, posso me exercitar?

Muitos pacientes com diagnóstico de  osteoartrose (artrose) nos joelhos já ouviram a seguinte recomendação: “Não se exercite muito. Poupe os seus
joelhos”.

Esta orientação esta totalmente equivocada!

A falta de atividade física regular produzirá atrofia muscular, perda
óssea, perda de equilíbrio e coordenação motora, e ganho de peso.
Exercícios físicos devidamente prescritos protegem a articulação através do aumento da massa muscular em torno dela, aumentando sua função e diminuindo as forças que agem em toda a superfície articular. Além disso, o aumento nos níveis endorfina gerados pelo exercício produzem uma sensação de bem-estar.

Os exercícios devem ser realizados sob a orientação de um fisioterapeuta
ou treinador. Mensurações objetivas do seu progresso, prescrição de novos
exercícios, técnicas executadas de maneira segura e eficiente são algumas
das vantagens de treinar com orientação de um profissional capacitado.

Portanto, se exercite com frequência e tenha mais qualidade de vida.